Viver Consentido


Eu quero emoção, brilho nos olhos, sair do morno. Minha vida é amarela fosforescente, não combina com tons de cinza. Quero saudar feliz cada segunda-feira invés de torcer pra que a vida corra pra sexta. Os fins de semana não podem ser apenas o intervalo entre a alegria e a angústia. É bom sentir que a vida está aí pra você decidir como quer que ela seja, sem medo de arriscar, de sair do convencional, de jogar tudo pro alto e começar diferente. Tem que sentir o coração pulsando!

Quero muito amor em tudo que eu faço - poesia, paixão, mágica, fantasia. A vida não pode ser apenas um dia após o outro, dormir e acordar, uma seqüência de momentos sem sentido que você só observa, sem ser protagonista. E repete, repete, repete... O mundo é grande, não dá pra viver pequeno. Quero realizar coisas, conquistar, contribuir com a humanidade, nem que seja com uma micropartícula de bem.

Por que se contentar em usar apenas uma pequena porcentagem do cérebro? Dá pra ir muito mais longe, mais alto, mais profundo. Hoje eu estou feliz com a minha folha de papel em branco. Posso desenhar, escrever, imprimir, rasgar ou amassar. Ela é minha e faço com ela o que a minha intuição mandar. O sentimento é virar a página, andar pra frente, plantar uma árvore, escrever um livro... Mas nunca, jamais, fazer do meu dia uma xerox do outro.

Nenhum comentário: