6 de jun de 2010

Do peito de frango à PICANHA!


Outro dia estava com uma amiga numa churrascaria e, quando começamos a analisar o comportamento dos garçons, rimos muito e eu percebi que não era a única louca a pensar insanidades.

1) Já reparou a alegria do garçon quando você está com muita vontade de comer a carne que ele oferece? Ele já chega com um sorriso de orelha à orelha que impede os mais sensíveis de recusar (preciso voltar à terapia para aprender a dizer "não" em churrascarias. É patológico rsrs)

2) Percebe a cara de decepção quando o garçom chega com um peito de frango e você diz: não!!! (tipo: tira isso daqui, maluco! Ou acha que vim aqui pra fazer dieta???). Pode trazer uma picanha? Parece que ele veio apresentar um filho e você disse: ih, não... feinho. Não tem outro mais bonito, não? É louco, eu sei, mas eu juro que noto essa cara de decepção. Fizemos o teste prático.

3) Chegamos à conclusão de que o garçom começa a trabalhar na churrascaria pelo peito de frango. É nessa etapa que ele aprende a conviver com "nãos" e com caras feias. Se ele tiver preparo psicológico pra tanta discriminação e recusas, ele passa por um upgrade até chegar nas carnes mais desejadas. O garçom da picanha, da alcatra tem mais pompa, ele já chega com o peito inflado e diz com orgulho: VAI UMA PICANHA? Isso com aquele sorrisinho de canto de boca de quem diz: vai logo, diz, eu sei que você me quer...

E depois de tanta dor de consicência recusando peitos de frango, decidi fazer dieta! Assim, não gasto dinheiro com terapia! rs

E, de repente, meu filho cresceu.

Hoje, vendo você desaparecer das minhas vistas, rumo a uma viagem internacional, sozinho, passei por uma avalanche de emoções e lembranças...