A maldição do 0800.

Você acorda mais cedo, toma banho, fica horas secando o cabelo, gastando seu melhor shampoo e aumentando a conta de luz da sua casa. Você usa o seu perfume de marca, escolhe uma roupa legal e pega (paga) um táxi rumo ao alto Leblon. Sobe até a cobertura e chega a um lindo e luxuoso apartamento com o ar-condicionado bombando na sala. É apresentada a pessoas de excelente nível, bem arrumadas, inteligentes, que sentam com você para apresentar seu projeto de negócio. De repente, você custa a acreditar, mas vem a proposta mais do que indecente: trabalhar 0800.

Meus pais pagaram pra que eu estudasse numa excelente escola, pra que eu me formasse numa das melhores universidades. Comprei livros, paguei cursos, tenho quase 20 anos de estrada. Mas deixa pra lá, não vou gastar minha lábia porque até a minha lábia custa caro.Não é a sua mãe, a sua irmã ou o seu melhor amigo quem está pedindo, são pessoas que você nunca viu nem mais gordas nem mais magras. Não é uma ONG pedindo o seu esforço de trabalho e as suas horas por uma causa nobre. E o 0800 ainda vem camuflado com aquele papobizarroenganatrouxa de que “se der certo, todo mundo sai ganhando”.  Sério, o que faz um estranho pensar que você vai fazer algo de graça pelo sonho que é dele? E ainda acha que você vai assumir o risco dos outros. É muito bizarro, sem noção, absurdo, indecente. Como alguém faz uma proposta dessas sem ficar com vergonha?E não é só isso! O esquema Tabajara continua, porque não basta ficar constrangida, você tem que chegar ao ponto de catar o botão do eject desesperadamente quando o nobre senhor pergunta: mas você só faz texto? A gente precisa de alguém que faça tudo – o texto, o visual, a programação. Precisamos de alguém que faça o e-commerce do site (0800!!!). Aí você começa a olhar de rabo de olho pra ver se percebe alguma câmera escondida, com uma equipe pronta pra surgir gritando: pegadinha do malandro! Uhu, ieié!

2 comentários:

Benicio Varzea disse...

O problema é que o nosso mercado se vende assim né? Panelinhas criativas, atendimentos puxa-sacos e donos de agência vaselinas. O que mais a gente podia esperar? Exceções à regra são poucas, quase raras. Tem puta que se dá mais ao respeito do que nós, publicitários! Gde Bjo

Luciana Campello disse...

Pois é, Beni.A sacanagem é di grátis mesmo! rsrs